domingo, 25 de janeiro de 2015

leitura [educação]... a nova versão da proposta de contrato de educação e formação municipal...!


as grandes questões para 2015... política...!


no expresso...

pintura... ancient seas, morski legendi... de valeri tsenov...!


o boneco do dia...


nada que seja novo, na (des)educação... acção e reacção...!


no dn 'online'...

coisas da educação... ciência e investimento...!


"Um estudo assinado pelos cientistas Carlos Fiolhais e Armando Vieira conclui que o sistema de Investigação e Desenvolvimento (I&D) português «parece estar excessivamente dependente do Estado».

Os dois cientistas, num estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos, questionam a sustentabilidade do sistema de I&D português, considerando que «os jovens doutorados, formados em número significativo, constituem uma mão-de-obra especializada que não encontra acolhimento no tecido empresarial português, vendo-se em muitos dos casos forçados a emigrar».

De acordo com as conclusões do estudo, intitulado «Ciência e Tecnologia em Portugal - Métricas e impacto (1995-2011)», «as empresas, em parte por falta de conveniente perceção dos respetivos responsáveis, não têm conseguido aproveitar e canalizar para benefício de mais gente as mais-valias» da formação de profissionais qualificados."

no diário digital...

e pode acompanhar a notícia do público... aqui.

coisas da (des)educação... a municipalização e o comunicado da fenprof...!

"Municipalização da Educação: segunda versão de contrato tenta tornear críticas mas mantém o essencial

O Governo acaba de divulgar uma segunda versão da minuta de contrato para a municipalização da educação. Trata-se apenas de uma reescrita da primeira versão, numa tentativa de resposta às fortes críticas de professores, dirigentes escolares e autarcas.

Vejamos:

- continuam a ser retirados poderes de decisão das escolas. A consagração, nesta segunda versão, de que, relativamente à matriz de responsabilidades, “o Município pode acordar com os AE/E o exercício conjunto ou a subdelegação de competências” apenas confirma a subalternidade atribuída às escolas neste processo;

- continuam a ser transferidas competências relativas à gestão do pessoal docente, quer através da manutenção da “possibilidade de contratação pelo município, na oferta específica de base local” (ainda que “na inexistência de pessoal do quadro de AE/E ou QZP”), quer pela consagração de que “o MUNICÍPIO articula com os AE/E para que estes procedam, nos termos da legislação aplicável, à afetação entre si dos recursos docentes disponíveis”, o que confirma que esta continua a ser uma matéria da competência do município;

- continuam a estar previstos prémios financeiros ao município como incentivos ao corte no financiamento da educação. Apesar de terem sido eliminadas as cláusulas 40ª-42ª relativas aos coeficientes de eficiência, os “incentivos à eficiência” continuam a fazer parte do clausulado desta segunda versão do contrato. Há, agora, uma ainda mais perigosa redação que implica que qualquer que seja o corte no financiamento da educação no território do município, o MEC atribui à câmara municipal “50% do produto das poupanças”. Para este efeito passaria a ser tido em conta qualquer corte – pessoal docente, ação social escolar, cantinas, aquecimento…;

- continua o desinvestimento na educação pública. Esta versão mantém o garrote financeiro nomeadamente nas transferências de capital (edifícios, e equipamento diverso), calculadas com base na média dos últimos quatro anos (sabendo-se que nos últimos dois quase não existiu investimento nesta área da despesa);

Ou seja, de forma engenhosa, o Governo reescreveu a minuta de contrato para a municipalização da educação, mas não abandonou nenhum dos seus objetivos centrais: cortar no financiamento da educação designadamente à custa da dispensa/despedimento de professores e educadores, retirar às escolas alguns dos seus poucos poderes de decisão e manter aberta a porta para a entrega da gestão das escolas ao setor privado.
 
A FENPROF apela aos professores, aos órgãos de direção e gestão das escolas, aos pais e aos autarcas para que aprofundem a análise das implicações desta contratualização e recusem a concretização de medidas que se inserem na designada reforma do Estado, visando reduzir ao mínimo as suas funções sociais."

Lisboa, 14 de janeiro de 2015
O Secretariado Nacional da FENPROF
 
 
aqui.

o roteiro da actualidade [capas e destaques] no remanso dominical... via jornais do dia...!

nota:
esta apresentação não corresponde a qualquer critério editorial ou hierarquia, logo não foi editada salvo no tipo de letra, e é a transcrição exacta da mensagem de comunicação, tal como é recebida, exceptuando a informação das publicações desportivas.
 
 

Correio da Manhã Correio da Manhã

Grécia/Eleições: Abriram as urnas para as legislativas
Barack Obama chega à Índia para visita oficial de três dias
RDCongo recua na alteração à lei eleitoral após confrontos violentos
Presidente de França condena "assassínio bárbaro" de refém japonês
Ucrânia: Secretário-geral da ONU condena ataque a Mariupol e critica separatistas
Urinar de pé é direito dos homens
Cadela Dobermann é mãe de 14...

Capa do Público Público

Cartas à Directora
Vença o Syriza
Espírito empreendedor: Happy Socks e Angry Birds
A grande fraude* quer refraudar
O antes e o depois das eleições gregas
Acredite no que quiser, mas não seja idiota
Os amuos não defendem o nosso interesse estratégico

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

(Des)Informar
Notas fracas no 1.º período. E agora o que vamos fazer?
Totoloto: Saiba qual a chave hoje sorteada
Doente oncológico deixa Hospital de Faro pela segunda vez sem tomar medicamento
Homem mata mulher a tiro e suicida-se em Lamego
Região Norte com horários alargados em 85 unidades de saúde devido à gripe
Diretora de neurologia critica caos na urgência do Garcia de Orta

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Caças F-16 escoltam aviões comerciais após ameaça de bomba
Grupo "jiadista" líbio Ansar al-Sharia confirma morte do líder
Impostos cada vez mais altos fazem cair consumo de tabaco
Pranchas com barbas crescem nas catacumbas da universidade
Grécia quer rasgar a austeridade e deixa Europa em "standby"
Redigir um requerimento
Secretário-geral da NATO insta Rússia a acabar com apoio a separatistas na Ucrânia
 
 
e deixo as capas dos semanários: 



SOL
 Expresso
Expresso-Economia

a começar bem o dia...


via go comics...

sábado, 24 de janeiro de 2015

bom fim-de-semana...


Followers from Gints Zilbalodis on Vimeo.

coisas da educação [classificações dos alunos]... reflexões para o fim de dia...!


no público 'online'...


"Dois investigadores do Centro de Investigação e Intervenção Educativas da Universidade do Porto chegaram à conclusão que “dois alunos com prestação idêntica nos exames nacionais facilmente podem ter discrepâncias de 2 (ou até 4) valores nas suas notas internas, consoante a escola escolhida”. Tiago Neves e Gil Nata já tinham abordado a questão da inflação das notas em artigos publicados em revistas internacionais. Agora, fizeram aquilo que definem como um “ranking da inflação” para cada um dos últimos 13 anos.
 
Estes rankings fornecidos ao PÚBLICO mostram, escola a escola, quais os estabelecimentos que têm em cada ano maiores desvios de classificações internas — aquelas que são dadas pelos professores — face ao “desvio médio nacional”, tal como calculado pelos investigadores. Olhando apenas para o top 5 de cada um dos 13 anos analisados: o Colégio Ellen Key, no Porto, e o Ribadouro, também no Porto, aparecem nove vezes nesse grupo.
 
Já o Colégio Horizonte (Porto), o Colégio de Lamego e o Instituto de SEZIM — Colégio de Guimarães aparecem quatro vezes na lista dos cinco maiores desvios.

Em 2013/14, o último ano para o qual há dados, o Externato Senhora do Carmo, na Lousada, foi o que teve o maior desvio face ao “desvio médio nacional”: à volta de 2,7 valores. Mais 10 escolas apresentaram desvios superiores a 2 valores.

Por sistema, explicam os investigadores, há “uma sobrerepresentação das escolas privadas nos lugares cimeiros” destes rankings que incluem as cerca de 600 escolas secundárias do país.

A metodologia que Gil Nata e Tiago Neves seguem não é muito diferente da do Ministério da Educação no portal InfoEscolas, recentemente lançado — e onde, pela primeira vez, o Governo divulgou publicamente dados escola a escola sobre este assunto.

Contudo, os dois professores (o primeiro lecciona na Universidade Portucalence e o segundo na Faculdade de Psicologia e Ciência da Educação do Porto) apresentam os valores absolutos dos desvios, para cada escola, enquanto o ministério limita-se a assinalar as escolas mais e menos alinhadas com a média, sem quantificar o tamanho dos desvios. Foi com base no InfoEscolas que o PÚBLICO concluiu, na segunda-feira, que há 24 escolas que dão por sistema notas acima do esperado. A maioria são privadas no Norte do país.

Basicamente, Gil Nata e Tiago Neves verificaram, em cada ano, qual foi a média interna dos alunos que prestaram provas — e fizeram-no para todas as classes de notas possíveis no exame (dos 0 aos 20 valores). Ou seja, avaliaram qual foi a classificação interna dos alunos com 1, 2, 3... 11, 12 valores, e por aí fora, no exame. Depois viram escola a escola se, em média, as notas internas atribuídas pelos professores eram mais altas do que as notas internas atribuídas pelas outras escolas a alunos com resultados semelhantes nos exames. Os desvios foram calculados “corrigindo a diferente proporção de alunos que diferentes escolas têm ao longo do espectro de notas nos exames nacionais”.

Resultado: encontraram discrepâncias consideráveis, “com a amplitude (diferença entre a nota mínima — a escola que mais deflacionou — e a nota máxima — a escola que mais inflacionou) a estar sistematicamente acima de 4 valores e a ultrapassar em vários anos os 5 valores”.

O maior desvio “para baixo” deste ano pertence ao Colégio Rainha D. Leonor, nas Caldas.

“Os desvios das escolas têm-se mantido similares ao longo do período em análise, por vezes com uma tendência de subida ligeira”, explicam os investigadores. “Isto significa que não se tem conseguido adoptar medidas que reduzam as (grandes) discrepâncias entre as escolas.”

Impactos no ensino superior
 
Gil Nata e Tiago Neves, que já tinham avaliado num artigo para o International Journal on School Disaffection, em 2012, “o impacto que tais desvios têm no acesso ao ensino superior”, actualizaram agora os seus cálculos — porque consideram que “a inflação de notas é uma tremenda fonte de injustiça”.

Nos cursos superiores mais competitivos (aqueles que apresentam médias de entrada mais elevadas), nos últimos três anos, estimam que “o impacto de mais um valor na nota de candidatura significa um salto de entre 80% a 90% na lista ordenada de candidatos a esses cursos (a partir do último candidato a entrar no curso)”. Ou seja, um valor a mais significa “passar à frente de mais de 80% dos candidatos”.

Mesmo um aumento de 0,5 valores na nota de candidatura significa um salto de mais de 50% nesses cursos.

Nos cursos menos competitivos, “o impacto de mais um valor na nota de candidatura é bastante relevante, sendo em média de cerca de 35%”.

“Enquanto investigadores, o nosso papel é estudar temas socialmente relevantes, disponibilizando dados em quantidade e qualidade suficientes para que possam ser apreciados quer pela comunidade científica, quer pelo público em geral”, justificam em resposta ao PÚBLICO. “Visamos facilitar a identificação precisa de problemas reais para que possam ser tomadas medidas concretas pelas entidades competentes.”

Na semana passada, também questionado pelo PÚBLICO, o Ministério da Educação lembrava, numa nota por escrito, que a avaliação interna é, por lei, da responsabilidade dos órgãos e estruturas pedagógicas das escolas. Mas que, ainda assim, a Inspecção-Geral da Educação e Ciência está a analisar os dados relacionados com os desalinhamentos de notas detectados e tornados públicos no InfoEscolas. “Nos casos de maior afastamento”, irá “utilizá-los em próximas intervenções inspectivas, com recomendações focadas no processo de avaliação interna dos alunos.”

“Temos consciência do assunto”
 
No Externato Senhora do Carmo, que este ano se destacou por ter o maior desvio, a direcção fez saber, por escrito, em resposta ao PÚBLICO, que este foi o primeiro ano em que tiveram alunos a prestar provas no secundário — e apenas no 11.º ano. “De facto, houve um desvio significativo nas classificações obtidas pelos nossos alunos numa ou noutra disciplina de 11.º ano (fundamentalmente numa que certamente pesou no objecto do referido estudo). A direcção pedagógica está naturalmente preocupada com a situação, mas também é necessário que se refira o seguinte: em primeiro lugar, o desfasamento não ocorreu em todas as disciplinas de 11.º ano a que os alunos prestaram provas, aliás, até houve resultados externos que suplantaram os resultados internos em determinadas situações; em segundo lugar, é preciso vincar que foi a primeira vez que esta escolas teve exames de nível secundário, e portanto, não sendo desculpa, o facto de ainda não existirem referenciais consolidados pode ter contribuído para que tenha havido mais discrepância.”

E remata: “Temos consciência do assunto. Mais do que ninguém queremos resolvê-lo para que se honre a tradição de bom desempenho dos nossos alunos. E sobre as causas aleatórias, sem querer especificar, já foram tomadas medidas que estamos certos farão com que o problema seja resolvido.”

Rodrigo Queiroz e Melo, director executivo da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo (Aeep), diz que não conhece o estudo em causa, mas considera que o facto de existirem “análises cada vez mais robustas” sobre o sistema educativo “é uma coisa óptima”. Agora, só contesta que se fale de “inflação” de notas, algo que “tem uma conotação negativa”. “Desvios”, diz, é mais rigoroso. E “os desvios podem ser virtuosos”. Mais: “Nalguns casos justificam-se plenamente.”

Dá um exemplo: há escolas que na dúvida, entre um 14 e um 15 decidem dar 15, como estratégia de motivação, e outras que decidem dar 14, para picar os alunos — “são estratégias pedagógicas” distinas, diz, e é um erro achar que os procedimentos devem estar todos alinhados. “A avaliação interna deve ser um instrumento de gestão pedagógica.”

Sobre o impacto de tudo isto no acesso ao superior, Queiroz e Melo entende que as conclusões dos investigadores do Porto dão razão à Aeep, que tem defendido uma mudança nas regras que faça com que o secundário deixe de “estar canalizado para a seriação de alunos para o ensino superior” correndo-se o risco de que se torne mesmo “numa fábrica de preparação de exames”. Uma possibilidade, diz, seria as universidades terem os seus próprios critérios de escolha de candidatos.

“Exercício teórico”
 
Recorde-se que o exame nacional vale apenas 30% da classificação final de cada disciplina do secundário sujeita a exame (nos cursos científico-humanistícos, que concentram a maioria dos alunos), a nota interna vale 70%. A classificação final dos cursos, por sua vez, é a média aritmética simples, arredondada às unidades, da classificação final obtida em todas as disciplinas do plano de estudos.

Já o cálculo da nota de candidatura ao ensino superior varia: há universidades/politécnicos que dão mais importância aos exames, que também funcionam como provas de ingresso, outras menos, umas que dão maior peso à classificação do secundário, outras menos; o que as regras mandam é que a classificação final do ensino secundário vale pelo menos 50% da nota de candidatura ao ensino superior (sendo que a classificação final do secundário reflecte notas internas e de exame, como já se viu) e as provas de ingresso pelo menos 35%. Mas dentro destes limites há várias combinações possíveis. Por exemplo, para Medicina na Universidade de Lisboa, a média do secundário vale 50% e as notas das provas de ingresso outros 50%. Em Direito, para a Universidade do Minho, as percentagens são 60/40.

Tiago Neves e Gil Nata não tiveram em conta estas nuances. “Quando analisamos o impacto nas listas de acesso o que fazemos é simplesmente ir ver para determinado curso a nota de entrada do último candidato e perceber qual o lugar em que ele estaria caso tivesse uma nota de acesso com mais 0,5 ou 1 valores”, explicam ao PÚBLICO. “Note-se que este é um exercício teórico. Não nos preocupámos com o facto de esse curso dar mais ou menos ponderação à Classificação Interna Final ou à Classificação de Exame. É simplesmente dizer: no curso x, o último candidato tinha nota y; com mais meio valor em que lugar da lista é que ele se encontraria e a que percentagem de subida na lista é que esse salto corresponde.”

Os investigadores partem do pressuposto de que se há escolas com desvios na nota interna de 2, 3 ou 4 valores acima do desvio médio nacional, como constataram que há, todos anos, é seguro que também há alunos que de facto têm mais um valor na nota de ingresso do que teriam se tivessem concluído o secundário noutras escolas que inflacionam menos ou que deflacionam as notas internas."


aqui.

arte mural... intervenção urbana em hamburgo... de innerfields...!


via street art utopia...

o boneco do dia...


no dn...

do estado amorfo, que para além de ser crónico é ensimesmado... e da nossa brilhante 'intelligentsia' [política, económica, cultural...]...!


n'o diabo...

informações [educação]... formação de professores e educação pré-escolar, cinema e actividades várias... no boletim do cirep...!

Boletim Informativo n.º 12 – 23/01/2015

Informações Gerais

Plano de Formação do Centro de Formação da APEI
O Centro de Formação da Associação de Profissionais de Educação de Infância, acreditado pelo Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua de Braga, dinamiza Ações de Formação Acreditadas e Não Acreditadas nas seguintes modalidades: Oficinas de Formação, Cursos de Formação, Workshops e Sábados Temáticos.

A partir da próxima semana será implementada mais uma modalidade: “Sextas Temáticas”.

Os destinatários privilegiados deste Centro de Formação são os educadores de infância, os professores do primeiro Ciclo do Ensino Básico e outros profissionais de educação, nomeadamente o pessoal não docente.


Play – 2.º Festival Internacional de Cinema Infantil & Juvenil de Lisboa
O PLAY regressa ao cinema São Jorge e à Cinemateca Júnior, nesta 2ª edição, foram selecionados filmes de todo o mundo, nos formatos de curta e longa-metragem, para que os mais novos tenham acesso ao cinema que se faz hoje e exibido um pouco por todos os Festivais de Cinema Infantil. São nove dias, repletos de filmes inteiramente dedicados aos mais novos, até aos 13 anos de idade, entre 31 de janeiro e 8 de fevereiro de 2015.

O Festival apresenta, uma semana de grande animação, com muitos filmes, debates e workshops, de 2 a 6 de fevereiro (durante a semana) com uma seleção especial para o público escolar e aos fins-de-semana sessões dedicadas às famílias. Durante o ano de 2015 o PLAY tornar-se-á itinerante, levando o cinema a outros pontos do país.


nota: estas informações são uma transcrição directa do boletim, logo respeitam o ao... infelizmente...!

informações [educação]... internet segura e educação sexual... no boletim do cirep...!

Boletim Informativo n.º 11 – 22/01/2015

Informações Gerais

Seminário «Dia da Internet Mais Segura 2015»
A Direção-Geral da Educação (DGE), em parceria com Centro de Competência TIC Softciências, no âmbito do projeto SeguraNet, irá realizar, no dia 10 de fevereiro de 2015, entre as 10h00 e as 17h00, o Seminário «Dia da Internet Mais Segura 2015: Juntos vamos criar uma Internet melhor!».

Este evento terá lugar na Escola Básica e Secundária Quinta das Flores / Conservatório de Música de Coimbra, e visa assinalar a iniciativa «Dia da Internet mais Segura» que é organizada pela rede Insafe, em fevereiro de cada ano, para promover a utilização crítica e responsável da tecnologia e dos dispositivos móveis, especialmente entre as crianças e jovens de todo o mundo.

A participação na conferência é gratuita mas sujeita a inscrição. As inscrições encontram-se abertas, devendo os interessados preencher um formulário. Todos os interessados poderão, mediante submissão e aprovação prévias, apresentar pósteres sobre a utilização segura da Internet e das tecnologias digitais. Este encontro será videodifundido.


EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR: SABERES, AFETOS E VALORES
Com vista à organização funcional e obrigatória da educação sexual em meio escolar, a Universidade Aberta promove a ação de formação “Educação Sexual em Meio Escolar: saberes, afetos e valores”, com os seguintes conteúdos:

1. Sexualidade Humana e Educação Sexual: conceitos, dimensões e evolução;
2. Infância, Adolescência e Juventude; corpo e orientações sexuais – visualização de filmes; discussão e resolução de situações problemáticas;
3. Saúde Sexual.

Esta ação é acreditada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua e as candidaturas encontram-se abertas até 11 de fevereiro.


nota: estas informações são uma transcrição directa do boletim, logo respeitam o ao... infelizmente...!

claro, não há almoços grátis...


no dn...

coisa para acompanhar em detalhe...


no jn...

o roteiro da actualidade [capas e destaques]... via jornais do dia...!

nota:
esta apresentação não corresponde a qualquer critério editorial ou hierarquia, logo não foi editada salvo no tipo de letra, e é a transcrição exacta da mensagem de comunicação, tal como é recebida, exceptuando a informação das publicações desportivas.




Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

EUA suspendem algumas operações antiterroristas no Iémen devido a crise - imprensa
Polícia de Hong Kong procura adolescente por furto de colar de diamantes
Homem-melancia no metro
Banco falso engana 200 clientes
Arranca dente com carro de brincar
Trio armado com caçadeiras assalta churrasqueira na Ericeira
Já estava escrito


Capa do Público Público

Aqui vamos nós
Cartas à Directora
A reforma do ensino superior
Superior interesse da criança
Homofobia envergonhada
Miguel Galvão Teles (1939-2015) – mestre de cidadania
As palavras que este poder tornou malditas: "poupanças"


Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Doentes de hepatite C avançam com ação em tribunal contra o Estado
Bebedeiras desviam INEM das verdadeiras emergências
Neonazis violentos europeus celebram em Lisboa
Reproduzir-se como coelhos?
Contra a política vazia, políticos prenhes
Niguém acertou no Euromilhões. Primeiro prémio com "jackpot" de 21 milhões na terça-feira
Veados à venda na Nazaré


Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

"Políticas erradas" da Europa contribuem para atrair jovens para o terrorismo
Mulher de deputado poupada à requalificação e promovida
Condutor de Lamborghini filma acidente a 336 km/h
Foi à procura da gata e acabou por salvar idosa em incêndio
Colégios inflacionam notas e dão 90% de vantagem a alunos
Caves do Vinho do Porto a Património Mundial
As visões da diáspora portuguesa numa Grécia em mudança


Capa do i i

Adopção gay voltou a chumbar, mas o "caminho está aberto"
Justiça investiga mortes nas urgências
Reino Unido. Portugueses de Londres adoram estar no centro do mundo
Combate ao terrorismo. Governo está a preparar "afinamentos" nas leis
Sócrates. Mário Soares insiste que Presidente da República deveria tomar posição
PCP assume voto favorável à adopção plena por casais homossexuais
Meco. Debate instrutório marcado para 2 de Fevereiro no Tribunal de Setúbal


Capa do Diário Económico Diário Económico

O êxito das ‘start-ups’ mede-se pelo MBA
Onde pára o bom senso?
Como ser um economista freak
Descubra 12 fundos para enfrentar os temas que vão marcar os mercados
Nicolás Maduro pede "muito apoio" aos venezuelanos para "tomar medidas duras"
Comentário BPI: BCE no topo das expectativas
Aprender a falar menos e a ouvir mais


Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Dolce Vita Tejo vendido à Eurofund Investments
Dívida do sector empresarial diminui 1,2% para 31,7 mil milhões de euros
Entre o medo e a esperança, gregos vão a votos este domingo
Bolsas dos EUA encerram última sessão da semana em queda
Gontijo: Oi está agora melhor posicionada para a consolidação no Brasil
Samaras mostra-se seguro da vitória em discurso inflamado
Santander interessado na compra de 26% do banco polaco Alior Bank


a capa em falta: 

Correio da Manhã 

e a capa desactualizada:

i

para não criar maus hábitos, a começar mal o dia...


no observador...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

o pensamento do dia...


no público...

informações [educação]... escolas e voluntariado, 'etwinning' e formação de professores... no boletim do cirep...!

Informações Gerais

Selo de Escola Voluntária
O Programa Escola Voluntária é um instrumento de atuação no âmbito do voluntariado que visa promover os valores de cidadania e da solidariedade em meio escolar.

É criada a distinção assinalada por um selo de Escola Voluntária destinado a reconhecer o contributo dado pelos estabelecimentos de educação e ensino que, através de projetos educativos, valorizam as atividades de voluntariado, fortalecem o envolvimento da comunidade educativa no projeto da escola e da escola na comunidade e que contribuem para o desenvolvimento de laços sociais dentro e fora dela.

O selo de Escola Voluntária consiste numa placa a afixar numa parede da escola, com a data da concessão.
O prazo de candidatura termina a 31 de janeiro de 2015.


Encontro regional eTwinning
A Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (ERTE), da Direção-Geral da Educação (DGE), em articulação com o Centro de Competência da Associação Portuguesa de Telemática Educativa e o Centro de Formação da Ria Formosa, promove mais um Encontro Regional eTwinning, nos dias 30 e 31 de janeiro, no Pólo Universitário de Gambelas, Faro. Este evento, de caráter gratuito, terá uma duração de 15 horas (0,6 créditos).

A formação é dirigida a docentes que tenham interesse em conhecer e iniciar projetos eTwinning. Estes poderão optar pela acreditação ou apenas pela frequência do encontro, devendo assinalar esse facto no formulário de inscrição. O número de vagas é limitado a 100 participantes.

Para mais informações, consulte http://bit.ly/1yrSnFU.





nota: estas informações são uma transcrição directa do boletim, logo respeitam o ao... infelizmente...!

informações [educação]... caf e auto-avaliação das escolas... no boletim do cirep...!

Informações Gerais

O MODELO CAF NAS PRÁTICAS DE AUTOAVALIAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES ESCOLARES
Realizada pela Universidade Aberta, esta ação pretende:

- capacitar os formandos para reconhecerem no processo de autoavaliação das escolas uma estratégia  conducente a uma mudança e melhoria de práticas em contexto escolar;
- dotar os formandos de estratégias/práticas de implementação de um processo de autoavaliação das escolas, nomeadamente com recurso ao Modelo CAF (Common Assessment Framework);

- capacitar os formandos para elaborarem planos de melhoria.

Aberta aos professores do Ensino Básico e Secundário, esta ação é acreditada pelo Centro Científico-Pedagógico da Formação Contínua e as inscrições encontram-se abertas até 01 de fevereiro.


“Dar a volta ao sol”: 12 fotografias_12 textos_12 meses
Mensalmente, durante 12 meses, será apresentada uma fotografia acompanhada por um excerto de um texto, na Cafetaria do Museu da Ciência. Um artista e um escritor por mês. Destaca-se, também mensalmente, a presença do artista, do escritor e de uma terceira pessoa para uma conversa entre si e com o público.

No final do projeto, organizado pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, será editado um livro onde constarão as 12 fotografias e os 12 textos, possibilitando assim a visão global do projeto.



nota: estas informações são uma transcrição directa do boletim, logo respeitam o ao... infelizmente...!

informações [educação]... relatório dos testes intermédios, estatísticas e ensino secundário, museu ao sábado... no boletim do cirep...!

Informações Gerais

Relatório dos Testes Intermédios
Instituto de Avaliação Educativa disponibiliza, para consulta, o relatório dos Testes Intermédios do 2.º ano do 1.º CEB-2014.

A aplicação dos Testes Intermédios no 2.º ano de escolaridade do 1.º CEB teve início em 2010-2011 e tem como finalidade o diagnóstico precoce das dificuldades dos alunos e uma intervenção pedagógica e didática atempada e eficaz.

Este relatório apresenta e analisa os resultados dos testes de Português e de Matemática, em 2014, e ao longo dos quatros anos de aplicação, permitindo tirar conclusões sobre a evolução dos desempenhos dos alunos do 2.º ano do 1.º CEB nestas disciplinas.


Portal de Estatísticas do Ensino Secundário – Cursos Científico-Humanísticos
Encontra-se disponível o Portal de Estatísticas do Ensino Secundário – Cursos Científico-Humanísticos.

Trata-se de uma plataforma online, desenvolvida pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC), em articulação com a Direção-Geral da Educação (DGE), que permite às escolas que lecionam Cursos Científico-Humanísticos e à comunidade educativa o acesso a informação estatística relevante sobre a demografia dos alunos da escola e sobre o seu desempenho escolar.


SÁBADOS NO MUSEU
O Museu da Ciência, em Coimbra, propõe Sábados diferentes com a realização de ateliers que ajudam os mais novos a compreender a ciência.

17 DE JANEIRO | O ALFAIATE E A LUA
Vamos contar-te uma história sobre a nossa Lua e, no meio das suas peripécias, vais ficar a conhecê-la muito melhor!
Para crianças dos 3 aos 5 anos.

24 DE JANEIRO | QUEM TAPOU O SOL?
A Lua consegue tapar o Sol? Vem saber o que acontece durante um eclipse e por que razão não se vê em todo o Mundo.
Para crianças dos 5 aos 7 anos

31 DE JANEIRO | NEURÓNIOS AO ATAQUE
Gostas de desafiar a mente? Vem treinar a inteligência, decifrando quebra-cabeças e mensagens secretas.
Para crianças dos 7 aos 10 anos


nota: estas informações são uma transcrição directa do boletim, logo respeitam o ao... infelizmente...!

ilustração... homenagem a luís dourdil... de tóssan...!


via almanaque silva...

o boneco do dia...


no público...

legislação [educação]... formação de professores [grupo 120]... via boletim do cirep...!

Boletim Informativo n.º 10 – 21/01/2015

Publicado em Diário da República

Declaração de Retificação n.º 59/2015 - Diário da República n.º 14/2015, Série II de 2015-01-21
, do Ministério da Educação e Ciência - Gabinete do Secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário
Retifica o Despacho Normativo n.º 1/2015 de 18 de dezembro de 2014 publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 3 de 6 de janeiro de 2015.

Despacho n.º 601/2015 - Diário da República n.º 14/2015, Série II de 2015-01-21
, do Ministério da Educação e Ciência - Direção-Geral do Ensino Superior
Regista a criação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, do curso de complemento de formação para a docência no grupo de recrutamento 120 destinado a titulares de qualificação profissional para a docência no grupo de recrutamento 330.

Despacho n.º 602/2015 - Diário da República n.º 14/2015, Série II de 2015-01-21
, do Ministério da Educação e Ciência - Direção-Geral do Ensino Superior
Regista a criação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, do curso de complemento de formação para a docência no grupo de recrutamento 120 destinado a titulares de qualificação profissional para a docência no grupo de recrutamento 110.

legislação [educação]... adse e formação de professores [grupo 120]... via boletim do cirep...!

Boletim Informativo n.º 11 – 22/01/2015

Publicado em Diário da República

Resolução do Conselho de Ministros n.º 5/2015 - Diário da República n.º 15/2015, Série I de 2015-01-22
, da Presidência do Conselho de Ministros
Determina a criação de uma equipa técnica visando o estudo de um modelo de governação transversal ao subsistema da Direção-Geral de Proteção Social aos Funcionários e Agentes da Administração Pública, ao subsistema de saúde dos militares das Forças Armadas, ao subsistema de assistência na doença da Guarda Nacional Republicana, e ao subsistema de assistência na doença da Polícia de Segurança Pública.

Despacho n.º 671/2015 - Diário da República n.º 15/2015, Série II de 2015-01-22
, do Ministério da Educação e Ciência - Direção-Geral do Ensino Superior
Regista a criação, na Escola Superior de Educação de Castelo Branco do Instituto Politécnico de Castelo Branco, do curso de complemento de formação para a docência no grupo de recrutamento 120 destinado a titulares de qualificação profissional para a docência no grupo de recrutamento 110.

Despacho n.º 672/2015 - Diário da República n.º 15/2015, Série II de 2015-01-22
, do Ministério da Educação e Ciência - Direção-Geral do Ensino Superior
Regista a criação, na Escola Superior de Educação de Castelo Branco do Instituto Politécnico de Castelo Branco, do curso de complemento de formação para a docência no grupo de recrutamento 120 destinado a titulares de qualificação profissional para a docência no grupo de recrutamento 330.

legislação [educação]... via boletim do cirep...!

Boletim Informativo n.º 12 – 23/01/2015

Publicado em Diário da República

Despacho n.º 726-E/2015 - Diário da República n.º 15/2015, 2º Suplemento, Série II de 2015-01-22
, Ministério da Educação e Ciência - Direção-Geral do Ensino Superior
Adita um número ao despacho n.º 7950/2014 (2.ª série), de 18 de junho, modificado pelo despacho n.º 15 049/2014 (2.ª série), de 11 de dezembro.

Despacho n.º 747/2015 - Diário da República n.º 16/2015, Série II de 2015-01-23
, do Ministério da Educação e Ciência - Gabinetes dos Secretários de Estado do Ensino e da Administração Escolar e do Ensino Básico e Secundário
Prorroga até ao final do ano escolar de 2016/2017 o disposto no n.º 4 do Despacho n.º 18040/2008, publicado na 2.ª série do Diário da República de 4 de julho.

o roteiro da actualidade [capas e destaques]... via jornais do dia...!

nota:
esta apresentação não corresponde a qualquer critério editorial ou hierarquia, logo não foi editada salvo no tipo de letra, e é a transcrição exacta da mensagem de comunicação, tal como é recebida, exceptuando a informação das publicações desportivas.



Correio da Manhã Correio da Manhã

Desemprego urbano na China diminuiu para 4,09% em 2014 - oficial
Hutchison Whampoa está em negociações para comprar operadora móvel britânica O2
Austrália pede à Indonésia clemência para dois traficantes no corredor da morte
Óbito: México lamenta morte do rei saudita e destaca o seu "compromisso com a paz"
Sismo de 6,8 registado ao largo de Vanuatu, no Pacífico Sul, sem alerta de tsunami
Jovem turista britânica encontrada morta em resort na Tailândia
Mãe de jornalista japonês sequestrado pelo Estado Islâmico pede a sua libertação

Capa do Público Público

São maçãs, senhor
O Museu dos Coches e a cascata de fogo preso em Belém
Uso do medicamento – somos todos responsáveis
“Aqui d’el Rey”, gritou o jornalista
Narrar na oblíqua
O que traduz uma teia?
O punk controlado dos Viet Cong

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Maria pediu ajuda à PSP seis horas antes de ser morta
Ministério Público investiga três mortes nas urgências
Consultas a cada dez minutos para tratar doentes com gripe
Sortear suspeitas
The sharia must go on
Costa e Santana abrem atendimento aos sem-abrigo no Cais do Sodré
Carlos Cruz ouvido na cadeia por juíza sobre liberdade condicional

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Incêndio numa habitação causa um morto em Santo Tirso
Irmãos espanhóis Pau Gasol e Marc Gasol titulares do "All Star Game" da NBA
Perfil: Rei Abdullah procurou modernizar reino conservador com resultados desiguais
Ronaldo disfarçado de mendigo encanta nas ruas de Madrid
Salário penhorado por dever cinco cêntimos ao Fisco
Judeus erguem muro de três metros e meio à volta da sinagoga
Hospital atrasa doentes com cirurgias fictícias

i i

Reino Unido. Portugueses de Londres adoram estar no centro do mundo
Combate ao terrorismo. Governo está a preparar "afinamentos" nas leis
Sócrates. Mário Soares insiste que Presidente da República deveria tomar posição
PCP assume voto favorável à adopção plena por casais homossexuais
Meco. Debate instrutório marcado para 2 de Fevereiro no Tribunal de Setúbal
Portas diz que recibos de salários e pensões já vão dar sinais da recuperação
Jogos de crianças. A violência não faz falta nesta lição

Capa do Diário Económico Diário Económico

Os banqueiros têm a palavra
Combate de ideias precisa-se
As duas privatizações da TAP
Como vai funcionar o programa alargado de compra de dívida
as consequências práticas da decisão de Mario Draghi
Um sinal forte no combate à deflação que não garante crescimento
Banca vai ditar (in)sucesso do programa de Draghi em Portugal

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

PT subscrevia dívida do GES sem conhecer dados financeiros
Peso do BES nas aplicações da PT aumentou com saída da Caixa
As entrevistas contraditórias no caso PT/Rioforte
A indeterminação do prefixo de "exit"
Caixa está a vender crédito sobre a Comporta
Emissões do GES eram feitas à medida da PT
PT violou várias regras na aplicação do dinheiro

Oje Oje

Menezes Cordeiro diz que assembleia-geral cumpriu as regras de direito
“Estou triste, venda da PT Portugal é sempre uma decisão muito díficil”, revela presidente da Ongoing
Oi muito satisfeita com resultado da votação. “É o melhor para as duas empresas”
Produção de caracóis rende 3 milhões de euros e está a crescer em Portugal
Governo da Madeira paga à Mota-Engil dívida de 57,3 milhões
Privatização da TAP “está no caminho certo”, diz presidente da companhia aérea
Aprovada a venda da PT Portugal à Altice

Capa do Destak Destak

BE apresenta projetos contra a corrupção em jornadas parlamentares no Porto
Desemprego urbano na China diminuiu para 4,09% em 2014 - oficial
Hutchison Whampoa está em negociações para comprar operadora móvel britânica O2
Austrália pede à Indonésia clemência para dois traficantes no corredor da morte
México lamenta morte do rei saudita e destaca o seu "compromisso com a paz"
Sismo de 6,8 registado ao largo de Vanuatu, no Pacífico Sul, sem alerta de tsunami
Jovem turista britânica encontrada morta em resort na Tailândia