sábado, 29 de agosto de 2015

o assunto do dia [coisas da (des)educação]... os dramas de um ciclo reiteradamente repetido...!



no público...


assunto a acompanhar na imprensa [escrita ou digital]... façam favor, dado que não me vou dar ao trabalho de editar mais do que esta entrada, por hoje.

leitura [educação]... lista das escolas com créditos horários...!

informações [educação]... créditos de horas das escolas, via comunicado do mec... via portal do governo...!

2015-08-23 às 18:56


MEC INFORMA ESCOLAS SOBRE OS VALORES DOS CRÉDITOS HORÁRIOS ADICIONAIS


Foram agora comunicados às escolas os valores dos créditos horários adicionais que lhes foram atribuídos de acordo com o sistema de incentivos à melhoria dos resultados escolares e da eficiência da gestão de recursos.
Desde 2012 que o Ministério da Educação e Ciência tem vindo a atribuir estes créditos como instrumento de apoio e incentivo, integrado num conjunto de medidas dedicadas a incrementar a qualidade do ensino, designadamente no que se refere à definição de orientações estratégicas adequadas, a uma boa gestão pedagógica e a uma correta utilização dos recursos. A análise dos resultados alcançados pelas escolas este ano mostra progressos significativos nos resultados dos alunos e na eficiência de gestão.
Este é mais um ano em que se concede crédito horário adicional às escolas que nesses critérios superaram patamares elevados de exigência, sendo de salientar progressos assinaláveis no que refere à melhoria de resultados nas provas e exames externos e na redução dos casos de alunos em situação de abandono ou de risco de abandono.  
A política de autonomia que ano após ano tem vindo a ser definida na organização do ano letivo tem permitido a cada escola concretizar os projetos e os apoios necessários que melhor se adaptam aos seus alunos. Para tal têm sido garantidas a todas as escolas um conjunto de horas de crédito horário semanal base, dependente da diversidade dos fatores próprios de cada uma e um conjunto de horas de crédito adicionais, que constituem o reconhecimento dos progressos e incentivos a maiores sucessos.
Esta política de créditos adicionais tem procurado garantir uma continuidade dos incentivos atribuídos às escolas, tendo por objetivo a qualidade do ensino e a melhoria dos resultados escolares. Assim, um crédito horário semanal adicional é atribuído em função de vários fatores: a capacidade de gestão dos recursos, a evolução dos resultados escolares, a aferição dos resultados internos com os externos, o sucesso escolar alcançado pelos alunos, a redução da percentagem de alunos em abandono, ou o risco de abandono escolar, que são decisivas para o seu apuramento. 
Sendo este o quarto ano de execução desta política, em que foram progressivamente estabelecidas alterações na organização do ano lectivo para que, no âmbito da sua autonomia, cada escola, de forma mais livre e mais responsável, tome as opções de organização curricular que melhor se adaptem às características dos seus alunos, o MEC regista com agrado o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido em cada escola, tanto na gestão dos recursos, como na melhoria dos resultados escolares. 
As horas de crédito horário para o ano letivo 2015/2016 agora comunicadas às escolas resultam da análise da necessidade de horas para gestão (KxCAPg), de que as escolas foram informadas a 30 de junho, e da análise dos progressos obtidos, verificados para cada uma através dos indicadores de eficácia educativa (EFI) e de redução de alunos em abandono ou risco de abandono (RA), de que as escolas foram agora informadas. 
A parcela referente à gestão (KxCAPg) tem em conta indicadores de capacidade de gestão dos recursos docentes e o número de turmas, compensando as horas de redução da componente letiva por antiguidade.
Uma análise do indicador da capacidade de gestão dos recursos docentes mostra que 423 escolas usam pelo menos 99% das horas de que dispõem. Este número representa 52% do total de escolas denotando, tal como já se tinha verificado no ano passado, um aumento relativamente ao ano de 2014, onde essa percentagem foi de 48%. 
Para o próximo ano, através desta parcela do crédito identificaram-se 43 escolas que receberam mais de 88 horas (valor máximo estipulado nos despachos anteriores a 2012). Destas, 26 receberam mais de 110 horas, numa média de 152 horas, tendo uma delas atingido o valor máximo de 250 horas, fruto da conjugação de uma boa capacidade de gestão com o facto de terem um corpo docente relativamente jovem, com poucas horas de redução da componente letiva por antiguidade.
No que se refere à atribuição dos créditos EFI e RA, estas são componentes do crédito que resultam dos progressos obtidos em cada uma das escolas. Dependem de variáveis como a evolução dos resultados escolares, a aferição dos resultados internos com os externos, do sucesso escolar alcançado pelos alunos e da redução da percentagem de alunos em abandono ou em risco de abandono escolar. 
De notar que, logo no despacho normativo n.º 13/A/2012, de 5 de junho, houve a preocupação de incentivar o bom trabalho educativo em todos os níveis de escolaridade oferecidos pela escola. Assim, uma escola que tenha alunos a realizar exames tanto no ensino básico como no secundário terá uma majoração de crédito se conseguir superar os critérios definidos em ambos os níveis de ensino.
A fim de tornar público o trabalho das escolas no que se refere à sua eficácia educativa, identificam-se em anexo as listas das que superaram os critérios definidos no despacho n.º 10-A/2015, de 19 de junho, para a atribuição de crédito horário na componente eficácia educativa (EFI).



Lista de escolas com créditos Tipo: PDF, Peso: 345,98Kb

apesar de as indicações parecerem ser de regresso em pleno... tal não vai acontecer, para já...!

havia declarado o 'retorno' para setembro e apareci mais cedo do que o esperado... sem qualquer incómodo, diga-se...

no entanto vou ter muito trabalho pela frente e não vou poder editar regularmente, como de costume, aqui no blogue [não só vou ter de pensar os tempos que a ele tenho dedicado como dar prioridade selectiva a assuntos que não me tomem muito tempo de edição, por exemplo]...

para além de outras tantas tarefas que continuam por concluir.

vamo-nos lendo... e espero acompanhar, no mínimo, o arranque deste ano lectivo [como tem sido norma].




no sol...

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

à atenção dos professores [concursos]... colocações [listas]... via dgae...!

Publicitação das listas definitivas de Ordenação, Exclusão, Colocação, Não Colocação, Desistências, Retirados, Renovação e Colocação Administrativa de Mobilidade Interna e Contratação Inicial 2015/2016



Mobilidade Interna - ano escolar de 2015/2016


Contratação Inicial - ano escolar de 2015/2016



 Publicitação das listas definitivas de Mobilidade Interna 2015/2016



Listas definitivas de Ordenação, Exclusão, Colocação e Não Colocação

100 - Educação Pré-Escolar Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
110 - 1º Ciclo do Ensino Básico Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
120 - Inglês (1º Ciclo do Ensino Básico) Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
200 - Português e Estudos Sociais-História Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
210 - Português e Francês Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
220 - Português e Inglês Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
230 - Matemática e Ciências da Natureza Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
240 - Educação Visual Tecnológica Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
250 - Educação Musical Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
260 - Educação Física Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
290 - Educação Moral e Religiosa Católica Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
300 - Português Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
310 - Latim e Grego Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
320 - Francês Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
330 - Inglês Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
340 - Alemão Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
350 - Espanhol Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
400 - História Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
410 - Filosofia Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
420 - Geografia Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
430 - Economia e Contabilidade Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
500 - Matemática Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
510 - Física e Química Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
520 - Biologia e Geologia Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
530 - Educação Tecnológica Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
540 - Eletrotecnia Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
550 - Informática Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
560 - Ciências Agropecuárias Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
600 - Artes Visuais Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
610 - Música Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
620 - Educação Física Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
910 - Educação Especial Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
920 - Educação Especial Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação
930 - Educação Especial Ordenação Exclusão Colocação Não Colocação

Lista definitiva de Retirados - Consulte


Lista definitiva de Colocação Administrativa - Consulte



Publicitação das listas definitivas de Contratação Inicial 2015/2016



Listas definitivas de Ordenação, Colocação e Não Colocação

100 - Educação Pré-Escolar Ordenação Colocação Não Colocação
110 - 1º Ciclo do Ensino Básico Ordenação Colocação Não Colocação
120 - Inglês (1º Ciclo do Ensino Básico) Ordenação Colocação Não Colocação
200 - Português e Estudos Sociais-História Ordenação Colocação Não Colocação
210 - Português e Francês Ordenação Colocação Não Colocação
220 - Português e Inglês Ordenação Colocação Não Colocação
230 - Matemática e Ciências da Natureza Ordenação Colocação Não Colocação
240 - Educação Visual Tecnológica Ordenação Colocação Não Colocação
250 - Educação Musical Ordenação Colocação Não Colocação
260 - Educação Física Ordenação Colocação Não Colocação
290 - Educação Moral e Religiosa Católica Ordenação Colocação Não Colocação
300 - Português Ordenação Colocação Não Colocação
310 - Latim e Grego Ordenação Colocação Não Colocação
320 - Francês Ordenação Colocação Não Colocação
330 - Inglês Ordenação Colocação Não Colocação
340 - Alemão Ordenação Colocação Não Colocação
350 - Espanhol Ordenação Colocação Não Colocação
400 - História Ordenação Colocação Não Colocação
410 - Filosofia Ordenação Colocação Não Colocação
420 - Geografia Ordenação Colocação Não Colocação
430 - Economia e Contabilidade Ordenação Colocação Não Colocação
500 - Matemática Ordenação Colocação Não Colocação
510 - Física e Química Ordenação Colocação Não Colocação
520 - Biologia e Geologia Ordenação Colocação Não Colocação
530 - Educação Tecnológica Ordenação Colocação Não Colocação
540 - Eletrotecnia Ordenação Colocação Não Colocação
550 - Informática Ordenação Colocação Não Colocação
560 - Ciências Agropecuárias Ordenação Colocação Não Colocação
600 - Artes Visuais Ordenação Colocação Não Colocação
610 - Música Ordenação Colocação Não Colocação
620 - Educação Física Ordenação Colocação Não Colocação
910 - Educação Especial Ordenação Colocação Não Colocação
920 - Educação Especial Ordenação Colocação Não Colocação
930 - Educação Especial Ordenação Colocação Não Colocação

Lista definitiva de Desistências - Consulte

Lista definitiva de Retirados - Consulte


Lista definitiva de Renovação - Consulte

à atenção dos professores [concursos]... comunicado do mec... via portal do governo...!

2015-08-28 às 14:41


MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PUBLICA LISTAS DOS DOCENTES EM MOBILIDADE INTERNA


Foram publicadas hoje no portal da Direção - Geral da Administração Escolar (DGAE) as listas definitivas de colocação de docentes relativas aos concursos da mobilidade interna e de contratação inicial de professores, que têm por objetivo colmatar as necessidades temporárias de pessoal docente de Agrupamentos de Escolas e Escolas não Agrupadas.
Ao longo deste procedimento, o Ministério da Educação e Ciência teve sempre presente e acautelou a necessidade de implementar medidas que refletem uma gestão cuidada dos seus recursos humanos no sentido de proporcionar um melhor aproveitamento dos docentes de carreira.
Foram opositores ao concurso de mobilidade interna, numa primeira prioridade os docentes de carreira pertencentes aos quadros de Agrupamentos de Escola e de Escolas não Agrupadas aos quais não foi possível atribuir pelo menos seis horas de componente letiva e os docentes de carreira pertencentes a quadro de zona pedagógica, incluindo os professores que passaram a integrar Quadros de Zona Pedagógica através do processo de vinculação resultante do concurso externo que decorreu em 2015.
Numa segunda prioridade puderam ainda concorrer docentes de carreira dos quadros dos Agrupamentos de Escolas e Escolas não Agrupadas do Continente e das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores, que pretendam exercer transitoriamente funções docentes num Agrupamento de Escolas ou Escola não Agrupada do Continente.
À contratação inicial concorreram os professores não integrados nos quadros para ocupação das necessidades temporárias dos estabelecimentos de ensino. A contratação inicial de professores produz efeitos a 01 de setembro de 2015. Os docentes em condições de renovar viram as suas colocações renovadas para o ano escolar 2015/2016.
Do total de 13130 docentes de carreira opositores à mobilidade interna, foram colocados 11936. Prevê-se que o número de docentes de carreira que ficou por colocar (373 docentes QA/QE sem componente letiva e 821 docentes QZP) venha a reduzir significativamente ao longo das próximas semanas.
Para tal, o processo de colocação de docentes irá manter-se assegurando o MEC a prioridade de atribuição do horário aos docentes de carreira que tenham manifestado preferências compatíveis com o mesmo. Relativamente às Escolas TEIP/Autonomia, caso se verifique que não existe um docente de carreira, o horário irá para Bolsa de Contratação de Escola. Nos restantes casos, o horário irá para Reserva de Recrutamento – contratação. A manter-se o horário, o diretor deverá lançar o mesmo para Contratação de Escola.
Dos horários solicitados pelos estabelecimentos de ensino nesta fase (17850), 15718 foram ocupados, de acordo com a preferência dos docentes.
Destes horários, 11936 foram preenchidos por professores de carreira (1606 docentes QA/QE sem componente letiva e 10330 docentes QZP), 2833 por docentes contratados em horários de contratação inicial e 949 por docentes contratados que renovaram a sua colocação, tendo em vista a continuidade pedagógica, em benefício dos alunos.
Após os procedimentos concursais referidos encontram-se reunidas as condições para o normal início do ano letivo 2015/2016.
Apresentam-se de seguida dados estatísticos relativos aos recursos humanos da educação no que diz respeito à mobilidade interna e às necessidades transitórias. Salientamos que no presente ano entrou um número significativo de docentes para os quadros do MEC.
Constata-se também um aumento do número de horários solicitados pelos Agrupamentos de Escolas/Escolas não Agrupadas o que evidencia a diversificação das ofertas educativas existentes enquanto medida de política educativa deste governo.


Necessidades Transitórias
2015*i
     
Candidaturas
Candidatos
Colocados
QA/QE
1979
1606
QZP
11151*ii
10330
Totais (Quadros)
13130
11936






Contratação Inicial
25296
2833
Renovações
1434
949
Totais (Contratação)
26730
3782
 

 
Horários
Recolha de Horários


Pedidos Escolas

17850*ii
Colocações


QA/QE

1606
QZP

10330*ii
Contratação Inicial

2833
Renovações

949
Totais

15718

*i – Ano de concurso interno e externo
*ii – Por se tratar de ano de concurso interno e externo, todos os QZP foram opositores à mobilidade interna.


nota:
tem-me sido quase impossível aceder ao sítio da dgae... portanto logo que tenha as listas... publico-as.

agora que a coisa parecia estar a pegar de estaca... acabou-se...?



discovery... de alesandro gottardo

domingo, 9 de agosto de 2015

sábado, 8 de agosto de 2015

bom fim-de-semana...

New York Times - Modern Love from Moth on Vimeo.

a cena [marada?] dos manuais escolares... do excelso 'patriarca'...?



no cm...

a cena dos manuais escolares... curiosidades...!



no cm...

a cena dos manuais escolares... a treta do costume...!



no cm...

continuação... do 'voyeurismo' educativo, da manhã...!




edição própria da transcrição feita da edição impressa do cm...

arte mural... intervenção urbana em alcântara... de bordalo II...!



via observador...

o boneco do dia...



no cm...

a actualidade do dia-a-dia, nas escolhas do editor...

José Cardoso
POR José Cardoso
Editor Adjunto



As escolhas do editor 


Bom dia, 

Nas escolhas do editor de alguns dos artigos que fomos publicando no Expresso Diário ao longo da semana começo por uma história única de fé, de esperança, de perseverança, de superação: a de Rúben, jovem algarvio de 14 anos, que 45 hospitais de todo o mundo se recusaram a operar, por ter 5% de hipóteses de sobreviver; e também da equipa médica que acreditou e acabou por o salvar; e também da mãe de Rúben, Ana Raquel, que vive há um ano sentada no cadeirão do quarto do Santa Maria onde o filho recupera. Vai receber uma prótese especial, recuperar em Alcoitão e sonha ter uma vida normal. Esta história foi a manchete de quinta-feira do Diário, mas é apenas uma das várias que fazem parte de um artigo maior que publicamos hoje na Revista E, sobre pessoas que abandonaram tudo para cuidar de um familiar com problemas (e tem assim o caro leitor mais um motivo para comprar a edição em papel deste sábado, até porque a Revista E traz na capa o habitual código que lhe permite ler toda a oferta digital do Expresso durante toda a semana).

Histórias de esperança e de perseverança são também aquelas de que são protagonistas os milhares de migrantes que, na região francesa de Calais, aguardam, por vezes há longos meses, por uma oportunidade de poderem furar a segurança e conseguirem chegar à Grã-Bretanha, através do canal da Mancha. O nosso correspondente em Paris, Daniel Ribeiro, andou esta semana por lá e conta o que viu e ouviu. “São seres humanos, fogem da miséria e de guerras, a França deveria fazer qualquer coisa por eles", disseram-lhe agricultores franceses da zona, nada contentes com as novas vedações e os arames farpados.

De Calais passo para o Mar Negro e um exclusivo Expresso. Uma das duas forças de navios escoltadores da NATO é chefiada até ao Natal por Portugal – mais propriamente pelo contra-almirante Silvestre Correia. A primeira missão acaba de ser cumprida no Mar Negro, onde foram efetuados exercícios navais com as marinhas de vários países do ex-Leste. O Expresso esteve a bordo do navio-almirante, a fragata D. Francisco de Almeida, e fez um diário de bordo. A mais de 5 mil kms de Lisboa, contamos como é o dia a dia no mar, com as suas rotinas, os seus procedimentos, as dificuldades por vezes difíceis de imaginar por quem não seja marinheiro. E, de binóculos apontados ao horizonte, na ponte, ou de olhos assestados no radar, não foi nada difícil – antes pelo contrário – dar pela presença de navios ou aviões que não eram da NATO mas estavam muito curiosos por não perder pitada do que se estava a passar por aquelas paragens. Afinal, aquelas são águas que banham a grande mãe Rússia e a sensível península da Crimeia, que Moscovo anexou no ano passado à Ucrânia.

Passo para o perfil de Carlos Gouveia de Mello. Não sabe quem é? Foi um dos nomes (Daniel foi outro) usado noutros tempos por José Dirceu, o outrora todo-poderoso homem da “máquina” do Partido dos Trabalhadores (PT) e braço direito do ex-Presidente Lula da Silva. Quem é este político, que foi preso na segunda-feira por corrupção, num caso cujos tentáculos também atravessam o Atlântico e pairam sobre Portugal? Dirceu lutou contra a ditadura, esteve preso, viveu no exílio, fez plásticas para mudar de rosto. Foi, como o próprio disse um dia, um “anfíbio”, que com a implantação da democracia foi subindo a escadaria do poder. Foi nº 2 de Lula, e só não lhe sucedeu porque… Esteve envolvido no escândalo Mensalão, o financiamento ilegal do PT, agora foi derrubado pelos jatos de outro, o Lava Jato. A sua vida é tão ou mais rica do que os enredos de muitas telenovelas da Globo.

Nestas escolhas incluo ainda dois temas que são balanços (sim, têm muitos números, mas são bem interessantes, como explicarei mais à frente).

O primeiro tem a ver com ensino e exames. Sei que agosto é sinónimo de férias. Mas com os resultados dos exames a saírem, os professores a serem colocados e muitos pais a pensarem já na próxima compra dos livros escolares (que, para não variar, estão de novo mais caros) e no regresso dos filhos às aulas ganha nova pertinência a leitura do artigo “Alunos do público chumbam até quatro vezes mais do que os do privado”. O Expresso Diário pegou no relatório Educação em Números 2015 e “descascou-o”, mostrando-lhe alguns dados curiosos (sabia que a maior diferença entre chumbos no público e no privado é logo no 2º ano, 11,4% contra 2,6%?) numa interessante radiografia do ensino em Portugal. A conclusão é que os jovens têm mais anos de estudo mas há menos alunos, menos professores e menos escolas.

O segundo é sobre política (sim, sei que agosto é sinónimo de férias, mas…). Com a pré-campanha eleitoral a aquecer e as tricas sobre quem entra, quem sai, quem devia estar e não está, etc. etc. nas listas de candidatos a deputados a não darem tréguas estivais, outro artigo desta semana cuja leitura pode ser interessante é sobre o que andaram a fazer durante quatro anos os deputados que agora terminam o mandato. Fique a saber, por exemplo, que nesta legislatura foram aprovadas 337 leis, que houve 11800 perguntas (mas só 7800 respostas…) no Parlamento, 12 comissões, que fizeram 3.593 reuniões e 2.193 audições, etc. etc. Duas notas mais gerais: os partidos mais prolíficos na apresentação de projetos de lei foram o PCP e o Bloco de Esquerda; só as iniciativas legislativas do último ano parlamentar representa 38% do total dos quatro anos.

Ainda relacionado com política (a do nosso futuro próximo), já agora leia também o artigo que publicámos na edição de quinta-feira sobre o que diz o mais recente relatório do Fundo Monetário Internacional relativamente a Portugal. Uma das previsões é que, seja qual for o próximo primeiro-ministro, o crescimento económico vai abrandar no próximo ciclo político e, venha quem vier, o melhor é retomar o programa de reformas. Mais: pode ser preciso “adiar ou cancelar extinção da sobretaxa de IRS”.

Por último, repesco um trabalho que publicámos no Diário de ontem, sobre o último alfaiate do Chiado. Chama-se João Ribeiro, já vestiu Mário Soares e ainda veste o atual secretário de Estado do Turismo, e faz fatos há mais de 50 anos. É um dos derradeiros resistentes de um ofício em vias de extinção. Além da prosa, publicamos um portefólio com pormenores da sua arte.

Por hoje é tudo de Diário, tenha um excelente fim de semana e…

…não se esqueça que hoje é dia de semanário, com mais (e novas) notícias e com a Revista E, em cuja capa vem o código com o qual poderá ler o Expresso Diário durante toda a semana


eu seleccionei estas:


Alunos do público chumbam até quatro vezes mais do que os do privado POR ISABEL LEIRIA
Alunos do público chumbam até quatro vezes mais do que os do privado POR ISABEL LEIRIA
337 leis, 11800 perguntas, 7800 respostas. Os números da última legislatura POR RAQUEL ALBUQUERQUE
337 leis, 11800 perguntas, 7800 respostas. Os números da última legislatura POR RAQUEL ALBUQUERQUE
FMI alerta. Crescimento vai abrandar no próximo ciclo político, reformas têm de ser retomadas TEXTO DE JORGE NASCIMENTO RODRIGUES
FMI alerta. Crescimento vai abrandar no próximo ciclo político, reformas têm de ser retomadas TEXTO DE JORGE NASCIMENTO RODRIGUES
O último alfaiate do Chiado POR NELSON MARQUES
O último alfaiate do Chiado POR NELSON MARQUES